alt=

Apresentamos o estilista Bevan Agyemang

À medida que as temperaturas descem, recorremos às nossas melhores amigas para nos ajudarem a sobreviver à nova estação: as camadas! Estivemos à conversa com Bevan Agyemang, o estilista da nossa mais recente sessão fotográfica para lhe pedir as duas principais dicas de estilo para vestir em camadas e muito mais...

alt=
Jayne Bibby
alt=

Bevan sempre se descreveu como um artista multidisciplinar devido ao seu interesse por muitos aspetos da indústria criativa, começando pela sua carreira como fotógrafo antes de passar para o estilismo. Então, como começaste? "Sempre me interessei por antropologia, padrões de comportamento e estudos culturais", explica. "Muito na fotografia tem a ver com o espaço e como este se relaciona com a composição e a luz. Comecei a usar estilos locais nos meus espaços imediatos para comunicar a minha identidade. Depois, a roupa começou a ser como uma linguagem para mim e desenvolvi um entendimento mais profundo ao criar visuais."

Com uma paixão pelo processo completo, incluindo a pesquisa, o estilismo até à fotografia e ao resultado final, quisemos descobrir qual é o verdadeiro foco de Bevan. Começa por explicar que "a pesquisa é provavelmente o espaço que dá origem a tudo, para mim. Adoro histórias e visuais com substância. A minha fórmula é registar, conservar e reproduzir. Por vezes, as ideias são formadas e conservam-se ou tornam-se elementos de personalidade. Depois, estas ideias despertam em condições favoráveis e o mais importante passa a ser a aplicação."

A nossa mais recente sessão fotográfica reforça quem é a Primark e o que representamos. Somos para todos, adoramos celebrar a diversidade, a inclusividade e a unidade em tudo o que fazemos e isto é algo por que Bevan é também extremamente apaixonado. "Compreender a minha herança cultura ganesa permitiu-me viver a minha verdade. Deixei de tentar alimentar uma narrativa e tornei-me autor da minha própria." Então, quanto desta herança ganesa traz Bevan para o seu trabalho e de que forma é isto importante para ele? "Penso que, inicialmente, era algo que eu queria muito comunicar porque estava a descobrir e a documentar em tempo real. Sinto que esta é provavelmente a espinha dorsal, mas os outros elementos são igualmente importantes para o cerne do meu trabalho. O meu espaço está sempre a mudar e essa é a principal influência sobre o meu trabalho."

alt=
alt=

Queríamos saber também que importância dá Bevan a educar pessoas sobre culturas diferentes através do seu trabalho. "Nesse caso, deixo o meu trabalho aberto a interpretação", explica. "Compreendo que nem toda a gente tem o mesmo conhecimento cultural, por isso, irá haver sempre algumas coisas que se perdem na tradução. Ao mesmo tempo, quero que as pessoas, pelo menos, questionem tudo. Educar as pessoas sobre culturas diferentes é importante, mas é a pesquisa adicional que vai deixar isso gravado em nós."

Na nossa última sessão fotográfica, de que forma conseguiu Bevan dar vida ao visual de cada modelo, celebrando ao mesmo tempo a diversidade, com a sua criação de visuais? "Acredito que a autoria é intrínseca a uma imagem. Algures entre o modelo e eu próprio, existe aquilo a que se chama o "terceiro espaço". É necessário um equilíbrio de ambos os lados para determinar verdadeiramente uma energia híbrida. Sempre que um modelo é inserido num trabalho, pode trazer algo de si para o espaço e para o visual."

Com o outono/inverno a aproximarem-se, vestir por camadas passa a fazer parte da nossa rotina diária. Pedimos a Bevan que partilhasse connosco as suas melhores dicas para vestirmos camadas sem ficarmos com um aspeto volumoso. "Para mim, o importante ao vestir em camadas é mudar a silhueta. Além da funcionalidade de nos manter quentes, permite-nos criar 2-3 visuais com um único conjunto. Brinquem com diferentes texturas, para que os tecidos contrastem e se complementem uns aos outros."

Outra tendência essencial na nossa coleção outono/inverno é o contraste de padrões e texturas. Como sabemos que estamos a usar corretamente esta tendência? Bevan explica-nos tudo: "O estilo tem sempre de ser sobre aquilo que nos faz sentir bem. A ideia de restrição quando estamos a criar a nossa própria liberdade é contraditória. Por vezes, tens de ir contra o ritmo. Se te faz sentir bem, aproveita. Ninguém te pode tirar essa sensação."

alt=
alt=

Então que peças-chave vai Bevan usar em camadas neste inverno? "Casacos de malha oversized, sobretudos e botas industriais pesadas. Decididamente, quero sentir-me o mais relaxado e confortável possível. Prevê-se que este vá ser um inverno muito frio, em muitos aspetos, e sentir-me aconchegado no subconsciente vai manter a minha mente quente também." Aconchegante! Soa-nos bem!

Uma vez que os conjuntos de uma cor só continuam a ser uma tendência-chave para homens e mulheres, como podemos todos manter o nosso look individual, se todos estão a seguir a mesma tendência? "Os acessórios vão sempre permitir-te criar pormenores no teu visual e dar-lhe o teu toque pessoal. Uma paleta neutra é uma tela excelente para criar. Os teus acessórios tornam tudo tridimensional e dão vida aos visuais neutros."

Como parte da nossa nova coleção, apresentámos recentemente a Modest Collection, com a qual encorajamos os nossos clientes a expressarem o seu estilo pessoal, mantendo um visual mais conservador e cobrindo uma maior percentagem do corpo. Então, que conselho tem Bevan para oferecer aos nossos clientes em busca deste visual modesto, seja por motivos religiosos ou não? "Mantenham o minimalismo e usem texturas contrastantes. Implementem tons subtis e concentrem-se em vestir em camadas e mudar a silhueta em vez de usarem peças muito chamativas. Desenvolvam uma linguagem mais ponderada, deixando um pouco mais para os olhos interpretarem."

As peças roupa de homem e de mulher foram combinadas em conjunto nos nossos modelos masculinos e femininos para esta sessão fotográfica. Ainda existem géneros no mundo da moda? "Penso que os homens estiveram, durante muito tempo, restringidos às mesmas peças típicas. Acredito que agora tempos a liberdade para criar formas diferentes e expressar a androginia. Eu próprio partilho um guarda-roupa com a minha parceira e acho que nos une de uma forma diferente. As estruturas estão a falhar e as barreiras estão a ser derrubadas. LIBERDADE"

alt=
alt=

À medida que vamos navegando pela atual pandemia e a vida pós-confinamento (com a ameaça de outro confinamento ainda presente), perguntamos a Bevan se todos deixámos de nos vestir formalmente e continuamos, em vez disso, a adotar as cinturas com elástico e a estética informal da vida em quarentena? "Penso que a quarentena deve ter influenciado as pessoas a vestirem-se para si, acima de tudo. Decididamente, devemos dar mais importância a sentirmo-nos bem. Também acho que temos sido mais criativos a trabalhar com o nosso tempo e com as coisas que já possuímos. Avançamos com a ideia de reutilizar e agora até uma velha t-shirt pode tornar-se numa nova máscara."

Então, o que tem o resto de 2020 reservado para Bevan, neste período tão incerto, principalmente para a indústria criativa? "Honestamente, sinto-me um felizardo por me ter mantido tão ativo nestes últimos meses, tendo em conta tudo o que está a acontecer. Tenho alguns projetos entusiasmantes em que estou a trabalhar, mas com o cenário em constante mutação, estou a aprender a apreciar o meu futuro imediato.