PERGUNTAS FREQUENTES

Na Primark, temos orgulho nos nossos preços baixos. Independentemente das possibilidades financeiras do cliente, temos sempre uma vasta gama de artigos de moda e acessórios para o lar que custam menos do que as pessoas esperam.

Por vezes, perguntam-nos como conseguimos garantir uma relação preço/qualidade tão boa com uma boa conduta ética.

Não temos nada a esconder. O nosso negócio baseia-se em fazermos algumas coisas de forma diferente das outras marcas.

Vedemos muitas unidades dos mesmos artigos, o que significa que conseguimos poupar ao fazer encomendas de grandes quantidades às fábricas e aos fornecedores que produzem os nossos produtos. Optamos também por não gastar muito dinheiro em coisas nas quais outros retalhistas talvez invistam mais. Talvez já tenha reparado, por exemplo, que não fazemos anúncios publicitários na televisão e raramente fazemos qualquer tipo de publicidade. E, sempre que possível, optamos por embalagens simples. Nos produtos Primark, não vai encontrar cabides de roupa, etiquetas de preço ou outras etiquetas dispendiosas.

Tudo isto significa que com estas poupanças conseguimos beneficiar o cliente no preço. No entanto, apesar de os nossos preços serem baixos, os padrões pelos quais nos regemos, e que exigimos a quem fornece a Primark, são elevados. Explore este site para descobrir mais sobre a forma como trabalhamos com os nossos fornecedores e as suas fábricas.

A Primark preocupa-se com o bem-estar das pessoas que fazem os seus produtos. Não somos proprietários de fábricas e somos muito seletivos relativamente àqueles com quem trabalhamos. Exigimos a todos os fornecedores e fábricas que produzem os nossos produtos que respeitem normas reconhecidas internacionalmente e definidas no Código de Conduta da Primark. O Código de Conduta baseia-se nas normas definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Estas incluem disposições de condições de trabalho com segurança e higiene.

Antes da Primark efetuar uma primeira encomenda, um membro da Equipa de Comércio Ético e de Sustentabilidade Ambiental explica os padrões exigidos aos potenciais fornecedores e às suas fábricas. A equipa efetua também uma auditoria formal às condições antes de aprovar uma fábrica para a produção de produtos Primark. As auditorias permitem-nos obter uma imagem detalhada das condições de trabalho e permitem aos trabalhadores partilhar confidencialmente connosco como são as suas condições de trabalho. As fábricas aprovadas são depois auditadas pelo menos uma vez por ano, no âmbito do nosso programa de monitorização. Realizamos auditorias anunciadas, semi-anunciadas e não anunciadas, assim como centenas de inspeções no terreno não anunciadas durante o ano para avaliar questões específicas. Em 2017, 61% das nossas auditorias foram não anunciadas, 21% foram semi-anunciadas e 18% foram anunciadas.

Se a auditoria revelar quaisquer não-conformidades face ao Código de Conduta, apresentamos à fábrica um plano de ação para resolver os problemas identificados. Sabemos que muitos trabalhadores dependem da Primark para ganharem a vida. É por isso que preferimos trabalhar com os fornecedores e as suas fábricas para que possam fazer as alterações necessárias. Mas, se identificarmos algo crítico, não hesitaremos em tomar medidas urgentes. Deixaremos de efetuar encomendas enquanto não estivermos satisfeitos com as alterações efetuadas. E, nos casos mais extremos, deixaremos de trabalhar com um fornecedor se este não demonstrar o seu compromisso face às nossas normas.

Visite a secção Pessoas e Produção para descobrir mais sobre a forma como trabalhamos com os nossos fornecedores e as suas fábricas.

A Primark não é proprietária de fábricas. Selecionamos e aprovamos as fábricas e os fornecedores que produzem os produtos para nós. Todas as fábricas que produzem produtos Primark têm de se comprometer a respeitar as normas definidas no Código de Conduta da Primark. O Código de Conduta define que os salários devem ser pagos em conformidade com as leis ou referências da indústria, o que for mais elevado. Define também que os salários devem sempre ser suficientes para satisfazer as necessidades básicas e proporcionar algum rendimento adicional. O Código de Conduta baseia-se nas normas definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De igual modo, todos os fornecedores têm de subscrever o Código de Conduta como parte dos termos e condições prévios à realização de negócios connosco. Asseguramos que cada fábrica que produz produtos Primark é auditada pelo menos uma vez por ano, por vezes mais, para verificar se as normas do Código de Conduta estão a ser respeitadas. Isto inclui verificar que todos os fornecedores pagam salários em conformidade com o Código de Conduta, o que inclui os requisitos legais.

Colaboramos também com outros para ajudar a aumentar os salários de todos os trabalhadores da indústria do vestuário. Somos um dos membros fundadores do Action, Collaboration, Transformation (ACT [Ação, colaboração e transformação]), uma iniciativa entre retalhistas internacionais, fabricantes e sindicatos para promover melhores salários em toda a cadeia de abastecimento de têxteis e vestuário. A iniciativa proporciona um enquadramento global para a indústria para estabelecer acordos de negociação coletiva ao nível da indústria relativos aos salários dos trabalhadores.

Na Primark, não somos proprietários de fábricas e somos bastante seletivos relativamente às pessoas com as quais aceitamos ou não trabalhar. Exigimos que todas as pessoas que produzem produtos Primark se comprometam a respeitar o Código de Conduta da Primark como parte dos termos e condições prévios à realização de negócios connosco. O Código de Conduta é constituído por um conjunto rigoroso de requisitos que abrange áreas tais como pagamentos, políticas laborais e saúde e segurança. Baseia-se nas normas definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Antes de efetuarmos a nossa primeira encomenda, um membro da Equipa de Comércio Ético e de Sustentabilidade Ambiental da Primark, que se encontre nos países onde se localizam as principais cadeias de abastecimento reúne-se com a administração da fábrica para explicar os padrões exigidos e efetuar uma auditoria formal. As auditorias ajudam-nos a avaliar o desempenho da fábrica face ao Código de Conduta. No caso de novos fornecedores e das suas fábricas, a realização de uma auditoria permite-nos ter a certeza de que as condições da fábrica são aceitáveis antes de a aprovarmos. Posteriormente, regressamos pelo menos uma vez por ano para verificar se as nossas normas estão a ser respeitadas.

Se encontrarmos quaisquer não-conformidades face ao Código de Conduta, disponibilizamos apoio e orientação à fábrica para que possa melhorar. Todas as fábricas recebem um Plano de medidas corretivas para resolver quaisquer problemas. Preferimos trabalhar com os fornecedores e as suas fábricas de forma a que possam fazer as alterações necessárias. Sabemos que muitos trabalhadores dependem do negócio da Primark para ganharem a vida. Mas, se identificarmos algo crítico, não hesitaremos em tomar medidas urgentes. Nos casos mais extremos, deixaremos de trabalhar com um fornecedor se este não demonstrar o seu compromisso face às nossas normas.

Para descobrir mais, visite a secção Pessoas e Produção.

Proibimos estritamente a utilização de trabalho infantil na produção dos nossos produtos. Isto está definido no Código de Conduta da Primark que se baseia nas normas definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Código de Conduta é constituído por um conjunto rigoroso de requisitos, que têm de ser respeitados pelos fornecedores e pelas fábricas, que abrange áreas tais como pagamentos, políticas laborais e saúde e segurança. Para fazer parte da lista de fábricas aprovadas pela Primark, todas as fábricas são avaliadas face ao Código de Conduta da Primark. Isto implica verificar também que todos os trabalhadores têm a idade mínima legal para trabalhar, definida no Código de Conduta da Primark. As fábricas são depois auditadas pelo menos uma vez por ano. As auditorias permitem-nos obter uma imagem detalhada das condições nas fábricas novas e nas já aprovadas. São fundamentais para nos permitir verificar se as normas reconhecidas internacionalmente estão a ser respeitadas.

Também colaboramos com especialistas locais e internacionais para que nos ajudem a compreender onde existem riscos de trabalho infantil nas cadeias internacionais de abastecimento. Com o seu apoio conseguimos abordar esta importante questão e transmitir aos fornecedores, trabalhadores e comunidades locais a importância do ensino para as crianças. Isto é algo que integrámos nos programas existentes tais como o SAVE, um programa que temos em vigor no sul da Índia no qual juntamos habitantes locais para formar Grupos de formação de trabalhadores para debater questões que são importantes para eles no local de trabalho e não só.

Proibimos estritamente a utilização de trabalho escravo e de tráfico de mão-de-obra na produção dos nossos produtos. Isto está definido no nosso Código de Conduta da Primark, um conjunto rigoroso de requisitos que têm de ser respeitados pelos fornecedores e pelas fábricas como condição para fazerem negócio connosco. O Código de Conduta da Primark baseia-se nas normas reconhecidas internacionalmente definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Antes de efetuar uma encomenda, as fábricas são submetidas a uma auditoria, com base no Código de Conduta. As que forem aprovadas são depois auditadas pelo menos uma vez por ano. No caso de novos fornecedores e das suas fábricas, a realização de uma auditoria permite-nos ter a certeza de que as condições da fábrica são aceitáveis antes de a aprovarmos.

Pode ler aqui a nossa declaração sobre a Modern Slavery Act (lei contra a escravatura moderna).

Não, a Primark não é proprietária de fábricas. Na realidade, 98% das fábricas que fazem produtos para a Primark fabricam também para outras marcas. Para fazer parte da lista de fábricas aprovadas pela Primark, todas as fábricas são avaliadas face a normas reconhecidas internacionalmente e definidas no Código de Conduta da Primark. Uma vez aprovadas as fábricas, entra ao serviço a nossa Equipa de Comércio Ético e de Sustentabilidade Ambiental, um grupo constituído por mais de 100 especialistas localizados nos principais países onde se encontram os fornecedores, para monitorizar a conformidade face ao nosso Código de Conduta. Estes asseguram que cada fábrica é auditada pelo menos uma vez por ano, por vezes mais, para verificar se as normas internacionais estão a ser respeitadas.

Para descobrir mais, visite a secção Pessoas e Produção.

Paul Lister, responsável pela Equipa de Comércio Ético e Sustentabilidade Ambiental da Primark, disse: “Cinco anos após o desabamento do edifício Rana Plaza no Bangladesh, a Primark continua a dar apoio às pessoas afetadas. Durante este período, a Companhia contribuiu com mais de 14 milhões de dólares em ajudas e compensações. Em Junho de 2017, a Primark assinou o “2018 Transition Accord”, reafirmando assim o seu compromisso em colaborar com outras marcas, proprietários de fábricas, ONG's, sindicatos e o Governo do Bangladesh para implementar mudanças sustentáveis positivas na indústria têxtil deste país”.

Ler mais

Não. Apesar de não sermos proprietários de fábricas, somos muito seletivos relativamente àqueles com quem trabalhamos. Apenas efetuamos encomendas a fornecedores que se comprometam a produzir os nossos produtos em fábricas com boas condições de trabalho, para que as pessoas sejam tratadas condignamente e recebam salários justos. Exigimos que todas as fábricas subscrevam o Código de Conduta da Primark como condição para fazerem negócio connosco. O Código de Conduta baseia-se nas normas definidas pela Iniciativa de Comércio Ético (ETI [Ethical Trading Initiative]) que, por sua vez, se baseia nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Código abrange áreas tais como pagamentos, políticas laborais e saúde e segurança.

Antes da Primark efetuar a sua primeira encomenda, um membro da Equipa de Comércio Ético e de Sustentabilidade Ambiental da Primark reúne-se com a gestão da fábrica para explicar os padrões exigidos e efetuar uma auditoria formal às atuais condições da fábrica. A fábrica apenas é aprovada se as condições da mesma forem aceitáveis. Após a auditoria e aprovação, as fábricas são auditadas pelo menos uma vez por ano.

Se a nossa auditoria revelar quaisquer não-conformidades face ao Código de Conduta, apresentamos à fábrica um plano de ação para resolver os problemas identificados, plano esse que é validado pela fábrica. Preferimos trabalhar com os fornecedores e as suas fábricas para que possam fazer as alterações necessárias com base nossas conclusões. Mas, se identificarmos algo crítico, não hesitaremos em tomar medidas urgentes. Nos casos mais extremos, deixaremos de trabalhar com um fornecedor se este não demonstrar o seu compromisso face às nossas normas.

Visite a secção Pessoas e Produção para descobrir mais sobre a forma como trabalhamos com os nossos fornecedores e as suas fábricas.

Na qualidade de grande retalhista com mais de 325 lojas em onze países, é importante para nós reduzirmos o mais possível o impacto ambiental das nossas lojas. Implementámos alguns sistemas. Por exemplo, em quase todas as nossas lojas temos um Sistema de Gestão de Edifícios que nos permite saber se as lojas estão a ser geridas de forma eficiente. Criámos também um Grupo de Redução de Energia para encontrar novas formas de poupar energia. Eles introduziram novas tecnologias como o sistema ERICC, que oferece aos gerentes de loja, em praticamente 100 lojas, informações e aconselhamento em tempo real em matéria de utilização de energia, bem como programas de formação para o pessoal.

Para diminuir os custos e reduzir o nosso impacto ambiental, utilizamos os mesmos veículos que fazem entregas dos nossos produtos nas lojas para recolher material reciclável e transportá-lo aos nossos centros de distribuição para posterior reciclagem. Isto reduz a quantidade de veículos nas estradas e a quantidade de instalações de recolha de resíduos nas nossas lojas.

Queremos também encontrar um bom destino para qualquer roupa que não vendemos. Desde 2010, as nossas lojas por toda a Europa doaram roupas não vendidas à instituição de beneficência Newlife. A Newlife especializa-se no apoio a crianças deficientes e com doenças terminais e respetivas famílias financiando equipamento e disponibilizando enfermeiros com formação especial para ajudar nos cuidados das crianças. Nos Estados Unidos fizemos parceria com uma organização sem fins lucrativos chamada K.I.D.S./Fashion Delivers.

Visite a página Planeta para mais informações.

Na Primark, não compramos matérias-primas diretamente. Em vez disso, as fábricas ou os fornecedores que passam a fazer parte da nossa lista de fornecedores aprovados são responsáveis pela aquisição das matérias-primas utilizadas nos nossos produtos. É importante para nós que o seu abastecimento seja efetuado de forma responsável. Subscrevemos o Sustainable Clothing Action Plan (SACP [Plano de ação de vestuário sustentável]) do WRAP que inclui um conjunto de objetivos ao nível da indústria nos quais estamos a trabalhar juntamente com diversos retalhistas, marcas e organizações. Com a ajuda dos nossos fornecedores, comunicamos ao SCAP o tipo e a quantidade de matérias-primas utilizadas nos nossos produtos. Registamos também o país de origem dos materiais e tecidos utilizados, o que significa que podemos monitorizar onde são adquiridos.

Queremos ir mais além do rastreio das matérias-primas para garantir que o seu abastecimento é efetuado de forma sustentável. Estamos a começar com o algodão. O algodão é uma das principais fibras naturais utilizadas no fabrico dos nossos produtos. A nossa ambição a longo prazo é garantir que todo o algodão que utilizamos na nossa cadeia de abastecimento é adquirido de forma sustentável. Em 2013, associámo-nos aos especialistas agrícolas da CottonConnect e à Self-Employed Women’s Association (SEWA) na Índia para criar o Programa de sustentabilidade do algodão da Primark. O programa dá formação a agricultoras sobre métodos agrícolas sustentáveis, para que possam melhorar os seus meios de subsistência através de um aumento da receita. O programa foi lançado com 1251 agricultoras e tem-se revelado um grande sucesso; desde então expandimos o programa de forma a dar formação a mais 10.000 agricultoras na Índia. Também nos empenhámos em dar formação a 20.000 agricultores no Paquistão através de uma parceria com uma ONG local, a REEDS, Rural Education and Economic Development Society.

A Primark subscreveu também o Cotton Pledge do Responsible Sourcing Network (RSN [Rede de abastecimento responsável]), comprometendo-se a não comprar conscientemente algodão uzbeque para o fabrico de nenhum dos seus produtos, enquanto o Governo do Uzbequistão não eliminar o trabalho infantil e escravo no setor do algodão. Assinámos o compromisso em 2015 e, em 2016, alargámos o compromisso de modo a abranger o Turquemenistão, na sequência de relatórios que revelam práticas de trabalho escravo no país.

Para descobrir mais, visite a página Planeta.

Os fornecedores e as suas fábricas utilizam uma série de tecidos e de corantes para criar os produtos da Primark. Para nós é importante que os fornecedores deem os passos certos para tornar as cadeias de abastecimento mais sustentáveis. Isto inclui os químicos que utilizam.

Subscrevemos o programa da ZDHC, através do qual estamos a eliminar progressivamente determinados químicos considerados perigosos e a substitui-los por outros. A Primark comprometeu-se a respeitar a Manufacturing Restricted Substances List (MRSL) da ZDHC, que apresenta uma listagem das substâncias químicas que os fabricantes não estão autorizados a utilizar no fabrico dos produtos da Primark. Temos também uma Product Restricted Substances List (PRSL) que se baseia nas normas da UE e dos EUA e que indica aos fornecedores e às suas fábricas os limites permitidos dos químicos nos materiais utilizados no fabrico dos nossos produtos. A nossa MRSL e a nossa PRSL são atualizadas regularmente e disponibilizadas no nosso website. Em 2014, assinámos a campanha Detox da Greenpeace que se centra também na eliminação progressiva da utilização de determinados químicos da nossa cadeia de abastecimento até 2020. Elaboramos regularmente relatórios relativos ao nosso progresso.

Estabelecemos parcerias com especialistas em cadeias de abastecimento sustentáveis da Solidaridad e com a Sociedade Financeira Internacional (SFI) no âmbito da sua iniciativa Partnership for Cleaner Textile (PaCT) no Bangladesh e Better Mills Initiative, na China. Ambos os projetos garantiram formação aos gestores de fábricas e investimento em tecnologias para reduzir a utilização da água e para garantir uma melhor gestão dos químicos utilizados no tingimento e na lavagem. Ambas as parcerias garantem que podemos confirmar que as fábricas não estão a utilizar químicos sujeitos a restrições e que estão a analisar atentamente a utilização da água, ajudando-nos a mantermo-nos fiéis aos nossos compromissos.

Não, atualmente não utilizamos materiais de Comércio Justo. No entanto, estamos a trabalhar para produzir de forma sustentável uma das principais fibras utilizadas nas nossas roupas: o algodão. Em 2013, celebrámos uma parceria com os especialistas agrícolas da CottonConnect e da Self-Employed Women’s Association (SEWA) na Índia para lançar um novo programa especificamente concebido para dar formação e apoiar agricultoras na introdução de métodos agrícolas sustentáveis. O programa foi concebido para ajudar as agricultoras a produzirem mais algodão de uma forma que minimize o impacto sobre o meio ambiente. Assistimos a excelentes resultados desde que o programa começou e, em 2016, anunciámos um prolongamento por seis anos para apoiar mais 10.000 mulheres na Índia. Em 2018, empenhámo-nos em dar formação a 20.000 agricultores no Paquistão através de uma parceria com uma ONG local, a REEDS, Rural Education and Economic Development Society.

Não é permitida a realização de testes em animais em quaisquer produtos da Primark. Qualquer fornecedor que produza produtos para a Primark que incluam materiais provenientes de animais, tais como lã, tem de cumprir as normas reconhecidas pela indústria em termos de bem-estar dos animais, em toda a nossa cadeia de abastecimento.

Não, não vendemos quaisquer produtos que contenham lã angorá e não encomendaremos nenhuns no futuro.

A qualidade é fundamental para nós na Primark. Queremos que os clientes desfrutem dos seus produtos Primark, que as roupas assentem bem, lavem e vistam bem e se tornem artigos adorados que sejam vestidos e usados em casa vezes sem conta.

Temos um processo de garantia de qualidade robusto que começa com o design e desenvolvimento do produto, passando diretamente pelos nossos processos de produção, da fábrica até à loja. Isso ajuda-nos a garantir que os produtos da Primark são adequados aos fins a que se destinam, são feitos para durar e cumprem todos os regulamentos e normas.

Ficamos obviamente dececionados se soubermos que um artigo da Primark não correspondeu às expectativas e certificamo-nos que aprendemos com isso.