A Primark adere à Parceria Alemã para Têxteis Sustentáveis

18 março 2016

A Primark, o retalhista de moda irlandês, aderiu hoje à Parceria Alemã para Têxteis Sustentáveis (Bündnis für nachhaltige Textilien ou Textilbündnis na sua forma abreviada) reforçando ainda mais o seu compromisso de longa data para a obtenção de melhorias sociais, ambientais e económicas em toda a cadeia de abastecimento têxtil, um objetivo partilhado com a Textilbündnis.

A iniciativa de múltiplas partes interessadas, compreendendo a indústria têxtil e do vestuário, retalhistas, sindicatos e sociedade civil, reúne a força e a experiência dos seus membros para concretizar melhorias sociais, ambientais e económicas em toda a cadeia de abastecimento têxtil.

O Paul Lister, que é responsável pela Equipa de Comércio Ético da Primark e de RSE na Associated British Foods plc (ABF), a empresa-mãe da Primark, disse: “A Primark tem vindo a trabalhar arduamente na última década para garantir que os direitos dos trabalhadores no seio da nossa cadeia global de abastecimento são respeitados e a vida das pessoas que trabalham na indústria do vestuário em mercados emergentes melhora nitidamente à medida que a industrialização traz novos empregos e oportunidades. Como parte deste trabalho colaborámos com muitas organizações, incluindo a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH (GIZ), com quem trabalhámos durante mais de cinco anos no Bangladesh. Para nós, o passo seguinte lógico é aderir à Textilbündnis e esperamos participar ativamente nos grupos de trabalho”.

O Wolfgang Krogmann, Diretor-Geral da Primark para a Alemanha e Áustria, disse: “Estamos muito entusiasmados acerca da nossa adesão à Textilbündnis. Trata-se de uma iniciativa muito importante e esperamos desempenhar um papel ativo nesta organização para a economia sustentável e partilhar experiências, aprender uns com os outros e implementar as melhores práticas”. A Primark apoia ativamente alianças para melhorar as condições de trabalho na indústria têxtil. A Primark é membro da Iniciativa Comércio Ético (ICE) desde 2006 e foi classificada uma “Líder” desde 2011, colocando a empresa entre os primeiros 5% das marcas associadas à ICE. Participa também ativamente em outras iniciativas internacionais, como por exemplo a ACT (Ação Colaboração Transformação), uma iniciativa entre marcas e retalhistas internacionais, fabricantes e sindicatos para abordar a questão dos salários de subsistência na cadeia de abastecimento de têxteis e vestuário. Desde 2010 que a Primark também é membro do Better Work, um programa de parceria entre a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a International Finance Corporation (IFC), oferecendo formação, auditorias e remediação para fornecedores no Vietname e no Camboja. A Primark esteve também entre os primeiros retalhistas a assinar o Acordo do Bangladesh sobre Segurança em Edifícios e Contra Incêndios cujos membros estão a trabalhar para a melhoria sustentável das condições de trabalho na indústria do vestuário no Bangladesh.

Notas para os editores

A PRIMARK, uma filial da ABF, foi criada em Dublin em 1969 e atualmente tem mais de 300 lojas em dez países: Reino Unido, República da Irlanda, Espanha, Portugal, Alemanha, Países Baixos, Bélgica, Áustria, França e Estados Unidos; e tem cerca de 60 mil colaboradores permanentes. A primeira loja da Primark nos EUA abriu em setembro de 2015 e prevê-se a abertura da primeira loja em Itália na primavera de 2016.

A Primark visa o segmento jovem, atento à moda e com menos de 35 anos, oferecendo moda comercial de alta qualidade a preços acessíveis. As pessoas são muitas vezes surpreendidas com a forma como a Primark consegue “Moda Incrível, Preços Incríveis”, mas tendo em conta as matérias-primas que adquire e a forma como organiza as suas lojas, o negócio da Primark baseia-se em fazer algumas coisas simples de maneira muito diferente de outros retalhistas, por isso mantém os seus preços tão baixos. A Primark praticamente não faz publicidade, têm uma margem muito menor do que muitos concorrentes e poupa ao comprar em grandes quantidades. Na realidade, 98% das suas fábricas fornecedoras trabalham também para outras marcas, desde pequenos retalhistas a marcas de luxo. Os colaboradores dos fornecedores da Primark recebem a mesma remuneração independentemente da marca para quem trabalham.

Como quase todos os outros retalhistas de moda, as roupas da Primark são feitas em países como o Bangladesh, a Índia, o Paquistão e a China. A Primark tem um código de conduta rigoroso concebido para garantir que as fábricas com quem trabalha respeitam os direitos dos seus trabalhadores. A equipa de comércio ético da Primark é composta por mais de 60 pessoas, incluindo um quadro superior na Alemanha que irá liderar o contributo da Primark para a Textilbündnis. A equipa trabalha em toda a cadeia de abastecimento da Primark para garantir que se cumprem as normas desta e realiza mais de 2 mil auditorias todos os anos para verificar se os trabalhadores estão a ser tratados adequadamente.

Na Alemanha tem lojas em Bremen, Frankfurt (2), Gelsenkirchen, Dortmund, Hanôver, Saarbrücken, Essen, Berlim (2), Karlsruhe, Düsseldorf, Colónia, Estugarda, Krefeld, Dresden, Kaiserslautern, Braunschweig e Weiterstadt.

  • Atingiu o máximo de favoritos, inicie sessão para adicionar mais

Uau!

Adicionámos o primeiro artigo aos teus favoritos.
Podes aceder-lhe sempre que quiseres, clicando aqui.

Tens tempo para te atualizares?

O Primark.com suporta os browsers mais recentes, incluindo Chrome, Firefox e Safari. Certifica-te de que tens a versão mais atualizada para aproveitares ao máximo o Primark.com